sábado, 4 de agosto de 2012

Relatório de Estágio em Gestão e Coordenação Pedagógica

RELATÓRIO DE ESTÁGIO CURRICULAR EM GESTÃO E COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA


Mensagem

Que a educação seja o processo através do qual o indivíduo toma a história em suas próprias mãos, a fim de mudar o rumo da mesma. Como? Acreditando no educando, na sua capacidade de aprender, descobrir, criar soluções, desafiar, enfrentar, propor, escolher e assumir as conseqüências de sua escolha. Mas isso não será possível se continuarmos bitolando os alfabetizandos com desenhos pré-formulados para colorir, com textos criados por outros para copiarem, com caminhos pontilhados para seguir, com histórias que alienam, com métodos que não levam em conta a lógica de quem aprende. (FUCK, 1994, p. 14 - 15)


1 INTRODUÇÃO

 Este trabalho consiste no relato do estágio Estágio Curricular em Educação de Gestão e Coordenação realizadas por Quésia da Silva Santana, estudante do 8º semestre de pedagogia na UNIME, realizado no Centro Educacional Municipal Fênix, tendo como principal objetivo articular conhecimentos teóricos e práticos adquiridos ao longo da formação acadêmica com a finalidade de consolidar competências. Com uma carga horária de 100 (cem) horas. A experiência do estágio nos possibilita a vivência da prática pedagógica durante o curso de formação. Estagiar é experimentar de forma concreta todos os ensinamentos adquiridos durante a formação acadêmica, uma vez que só a teoria não é suficiente para preparar o aluno em sua atuação profissional. Neste processo, o estagiário tem a oportunidade de experimentar sua profissão e unir a teoria à prática, fazendo intervenções, realizando pesquisas, diagnosticando e propondo alternativas de soluções para os problemas observados, com o devido respaldo teórico que possui. Segundo as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia, aprovado em 13 de dezembro de 2005, p.15. O Estágio Curricular pressupõe atividades pedagógicas efetivadas em um ambiente institucional de trabalho, reconhecido por um sistema de ensino, que se concretiza na relação interinstitucional, estabelecida entre um docente experiente e o aluno estagiário, com a mediação de um professor supervisor acadêmico. Deve proporcionar ao estagiário uma reflexão contextualizada, conferindo-lhe condições para que se forme como autor de sua prática, por meio da vivência institucional sistemática, intencional, norteada pelo projeto pedagógico da instituição formadora e da unidade campo de estágio. Para efeito desta Diretriz, Estágio Curricular em Educação de Gestão e Coordenação é obrigatório, realizado no decorrer do ano letivo, com carga horária definida, sendo oferecido aos alunos regularmente matriculados na instituição. É parte integrante do processo de formação e constitui-se como o espaço, por excelência, da relação dialética entre a teoria e a prática. Além disso, o estágio é um eixo de ligação entre todas as disciplinas que compõem o curso de Pedagogia tendo em vista que todas elas oferecem subsidio para a formação profissional.
Nesse sentido, corroboramos a compreensão de Pimenta (2005, p.70) de que “a finalidade do estagio supervisionado é proporcionar que o aluno tenha uma
aproximação à realidade na qual irá atuar”. Assim o estágio é compreendido como uma aproximação a pratica profissional real, constituindo-se em uma reflexão sobre e a partir da realidade das escolas brasileiras em que os alunos estagiam e podem vir a atuar num futuro próximo. O Estágio Curricular em Educação de Gestão e Coordenação foi realizado em duas etapas distintas: Primeiro a fase de observação do dia 12 a de abril, das 13h ás 17:30h, organizado assim por uma coleta de dados feita através de entrevistas com perguntas previamente elaboradas. Em seguida, a etapa de planejamento que foi o momento da construção do um Projeto de intervenção (vide em anexo), composto por três diários de bordo e a preparação dos materiais didáticos de suportes utilizados durante a aplicação do projeto de intervenção no dia 01/06/2012. Sendo assim, através deste estágio, entendi que a Gestão Pedagógica define a linha de ensino, as metas a serem atingidas, levando em conta os objetivos e o perfil de seus alunos. Deve avaliar o rendimento das práticas adotadas, para detectar e corrigir eventuais erros se necessário, juntamente com a equipe de professores envolvidos. Portanto, pude compreender as principais funções da gestão escolar e as atribuições do coordenador pedagógico; pois dentro das escolas, existe a figura do mesmo, um personagem peculiar. Este profissional exerce, em seu cotidiano, uma série de funções. Penso que uma das principais atribuições é ser o elo entre o corpo docente e a direção escolar. É este profissional quem ajuda na gestão escolar e na elaboração da proposta pedagógica. Orienta alunos, pais e professores, além de responder pela formação crítica dos professores, sendo principal objetivo de sua função garantir um processo de ensino-aprendizagem saudável e bem-sucedido para os alunos do curso em que atua. Para tanto, ele desempenha várias tarefas no seu cotidiano: tarefas burocráticas, atendimento a alunos e pais, cuidado e planejamento de todo o processo educativo do curso... Emergências e imprevistos e, principalmente, a formação em serviço dos professores com os quais trabalha.
Para (Marques, 1999); No cotidiano escolar, as práticas de coordenação compõem o panorama de aprendizagem e ensino, desmandando uma clareza dos determinantes histórico-políticos, mas também uma busca de sentido que articule as
dimensões da intersubjetividade, da subjetividade e da dinâmica educacional presente em certa proposta curricular. Hoje acredito que o principal objetivo de estágio é aprofundar a formação enquanto aluno do curso de pedagogia, preparando-nos para atuar. Contudo o estágio não deve ser visto como rito burocrático estanque que deve ser feito como uma disciplina qualquer. Mas sim um momento de oportunidade de troca de experiência, de discussões, e diálogo e reflexões.

2.0 MEMÓRIA

 Começamos, primeiramente com o contato com colégio Fênix, que tem uma infra-estrutura ampla com uma área bastante arejada a qual funciona no turno vespertino (Ensino Fundamental II do 6º ano á 9º ano) e matutino, com objetivo de conhecermos gestão e a coordenação da mesma. A coordenadora Amanda nos recebeu com a maior alegria e entusiamos, já tíamos entrado em contato antes e relatando o motivo da nossa ligação. Sendo assim a mesma nos permitiu: Fernanda Oliveira, Lany Sales e eu estagiamos nesta instituição no dia 20 á 25/03/2012. No primeiro dia tivemos um dialogamos enriquecedor com a diretora e a vice que relataram questões sobre a gestão e a coordenação dentre alguns acontecimentos que vem acontecendo quase sempre e as suas funções. As atividades de gestão, observadas e analisadas no presente estágio, de fato foi muito interessantes e instrutivas, pude compreender claramente a distância entre o que está escrito na Proposta Pedagógica da instituição e o que acontece no seu dia a dia. O Regimento Escolar, no que se refere à documentação, atribuições de professores e funcionários, funciona de acordo, percebe-se, que os funcionários administrativos desempenham com competência e ética suas funções, referentes a documentação e estruturação escolar, matrículas, transferências, atestados, atendimento ao público e demais atribuições. No entanto, vale apenas citar alguns fatos a quais me chamou a atenção foi os alunos estarem sendo dispensados mais cedo e a ausência de alguns professores. Frente a isso me leva a pensar sobre a falta de compromisso dos profissionais da educação, pois sei que a prática pedagógica deve ser marcada por atitudes ou sentimentos: O entusiasmo de aprender e a disposição para o dialogo.
Entretanto a vice-diretora da tarde, esta sempre envolvida com problemas de indisciplina dos alunos e falta de professores, obrigando-se a improvisar diversos arranjos para dar conta dos problemas, quando até os funcionários vão para a sala de aula substituir professores faltosos, que muitas vezes não avisam que precisam faltar e nem mandam planejamento para as aulas.
Várias vezes os alunos são mandados para casa mais cedo, prejudicando muito o aprendizado. Levando em conta também a suporta greve dos Professores do estado Municipal.
E quando é constatado uma instituição que ocorrer a falta de comunicação entre professores e coordenadores terminar gerando um desrespeito, pois o mesmo é mediador da aprendizagem e da construção do sujeito e tem compromisso tanto com a instituição e quanto ao aluno.
Durante o estágio observei que muitas vezes a coordenação da escola é vista pelos professores como se tivesse obrigação de resolver todos os seus problemas, ver material e estar o tempo todo a disposição para qualquer pedido ou encaminhamento que o próprio professor poderia resolver.
Quando o profissional que trabalha na coordenação está realizando leituras referentes à sua função, resolvendo problemas de documentação e planejamento, muitas vezes injustamente, falam que ele esta lá, sentado sem fazer nada.
Dessa forma eu como gestora buscaria chamar a atenção desses profissionais relembrando os seus deveres e seus direitos, levando em conta também, que todo ato tem sua conseqüência. No dia seguinte fomos encaminhadas para a sala de coordenação a qual tivemos o prazer de conversar mais a vontade com a coordenadora pedagógica Amanda Rosa Silva Dias pôde notar sua simplicidade e sua forma de gerir pessoas, tendo com instrumento maior o diálogo. Pude observar a mesma, verificar algumas das funções e perguntá-la referente algumas dúvidas que tinha Ao decorrer da semana para o nosso deleite a coordenadora explanou um pouco sobre o projeto “O DIA D’ DA FAMÍLIA NA ESCOLA” que neste momento estava sendo sua preocupação maior, que tem como sub-tema: Cuidando do corpo e da mente a qual seria apresentado no sábado. Por intermédio disso falamos um pouco então do nosso projeto de intervenção, que foi analisado e concluído dessa forma: O projeto de intervenção 08 horas subdivide em: quatro horas de coordenação de evento (Projeto o Dia D’da família na escola) e quatro horas de palestra para os professores sobre pedagogia de projeto. No penúltimo dia pudemos nos concentrar para apreender sobre coordenação de evento pedagógico e organiza - lá, utilizamos nossos conhecimentos aprendidos durantes todos os semestres e a nossa criatividade, visando sempre o ensino-aprendizado do aluno.
O último dia de estágio de observação foi á culminância em um sábado a qual tive o prazer de juntamente com o corpo pedagógico desta instituição, promover o Dia D’ da Família e com a comunidade local, visando um momento onde os alunos pudessem expressar o seu conhecimento e ter palestras sobre assunto do seu cotidiano, além de um espaço de saúde. Assim concluímos o nosso momento de observação e fomos para o nosso posso passo construir um projeto de intervenção que foi proposto pela a coordenadora Amanda fazer uma palestra para os docentes sobre Pedagogia de Projeto. Sendo assim concluirmos a primeira parte do estágio que foi a observação e partimos para a produção do projeto, apresentamos à professora Luiza Ramos a coordenadora de estágio da UNIME o diário de bordo de cada dia e o tema do projeto de intervenção a qual orientou na produção do projeto descrito e nos slides, corrigindo e fazendo alterações. Após o projeto aprovado entremos em contato com a coordenadora Amanda Rosa que agendou o dia da nossa intervenção e analisou primeiramente o projeto e o slide que encaminhamos por e-mail. Sendo assim aplicamos o nosso projeto de forma clara e objetiva, onde todos contribuíram de forma perspicaz para o nosso deleite educativo e de nossa aprendizagem.
3.0 A PROPOSTA O projeto de intervenção “Pedagogia de Projeto” foi vivenciado no dia 01 de junho de 2012 em uma sexta-feira pela manhã no A/C na Instituição Fênix. O mesmo veio para retomar com a equipe de educadores, a importância do trabalho com a Pedagogia de projetos, que além de considerar o ponto de vista didático, deve sempre estar atenta para os problemas que surjam no trabalho e que podem ser resolvidos com a criação e implementação de um projeto. Mostrando também os problemas comuns na implantação e execução do mesmo, que devem ser evitados, como objetivo confuso; execução conturbada; falhas na execução dentre outros. O referido tema foi apresentado passo a passo através de slides para o quadro de docente composto por: professores, gestores e a coordenadora. Tivemos uma boa apresentação, seguido de um dialogo para que os mesmos exponham suas dúvidas ou complementasse com foco no tema desenvolvido e ao final uma confraternização com direito a sorte de um livro e distribuição de presentes. Minha satisfação foi perceber o entusiasmo e interesse demonstrado pelos docentes sobre o conteúdo e a boa vontade de estar nos presenteando com a vossa presença.

4.0 RESULTADO

 A aplicação do Projeto de Pedagogia direcionado ao quadro de profissionais de educação foi muito boa, ocorrendo de forma tranqüila e principalmente prazerosa, fizemos um slide auto-explicativo passo a passo que devera nos ajudou grandemente, pois todas tinham o domínio do assunto abordado no mesmo. Sendo assim posso relatar que as contribuições para a escola foi à convivência com o assunto em pauta, fazendo despertar por parte dos educadores a necessidade de trabalhar com Pedagogia de projetos de forma entre os diversos atores da instituição de ensino. Possibilitando um novo enfoque nos processo educativo, tendo em vista a formação plena dos educandos, na conquista da cidadania e preparação para o trabalho e atuação dentro da sociedade. Esta apresentação foi de suma valia para o meu acervo educativo e para instituição, estimulando assim, professores pesquisadores, investigativo e atuante no processo educativo de forma competente e com habilidade de gerir pessoas e formar cidadões críticos reflexivos e não somente reprodutores dos conhecimentos adquirido e sim inovadores e questionadores diante de uma sociedade caótica.

4.0 APRENDIZAGEM

 O Estágio Curricular em Educação de Gestão e Coordenação possibilitou a constatação de que o estágio é um momento especial e único na formação do docente, seja ela inicial ou continua. Haja vista que neste contato com a escola-campo foi possível observar, no cotidiano da escola, elementos que indicam, principalmente, como se relacionam professores e alunos. A partir disso, subentende-se que a concepção da educação do homem e da sociedade inserida na comunidade escolar; tem como ápice as bases da função pedagógica e da ação docente. A grande responsabilidade para a construção de uma educação cidadã está nas mãos dos gestores, coordenadores e principalmente os professores, o seu papel está além da simples transmissão de informações, ele participa de toda a proposta pedagógica.
Muitas vezes o que é planejado e discutido na teoria, na prática não funciona tão bem quanto era esperado, muitas vezes resulta em atritos e mais problemas. Quando isso acontece, as práticas devem ser reavaliadas pela equipe gestora e pedagógica com maturidade e coragem para que se possa realizar uma mudança de estratégias e corrigir o que não deu certo.
Administrar uma escola pequena ou grande não é nada fácil. Uma escola com tantos problemas e carências em seu entorno é ainda mais complicado, porque quem ali trabalha compartilha das angustias e esperanças da comunidade. Muitas vezes ficam de mãos atadas na expectativa de que os órgãos competentes tomem as providências há muito solicitadas e que poderiam melhorar a vida das pessoas e por conseqüência ajudariam a melhorar o ambiente da escola.
Percebi que ser coordenadora, não é algo fácil, que tem que ter vocação, tem que haver uma boa preparação, que nem sempre o Curso Superior proporciona. É necessária, também a prática e a pesquisa para formar um bom professor-coordenador, seguro e consciente, que proporcionará aos professores e alunos aprendizagens significativas e prazerosas.
Mais do que nunca é necessário que a equipe gestora seja competente, preparada, corajosa e acima de tudo, DEMOCRÁTICA, discuta os problemas com a
comunidade, escute o que as pessoas têm para dizer, as sugestões e as críticas. Pois é a partir de uma avaliação que se corrigem os erros e se acerta o rumo.
Construir junto com toda a comunidade escolar uma Proposta Pedagógica, ouvindo todos os segmentos envolvidos, pois por mais humilde que sejam as pessoas tem o direito de ser ouvidas e muitas vezes têm contribuições importantíssimas e surpreendentes para dar.
Uma gestão democrática em que todos se sintam participantes e importantes na tomada de decisões gera um comprometimento e uma responsabilidade que é divida com todos, sem sobrecarregar a equipe gestora, que então pode dividir acertos e erros, e buscar conjuntamente soluções e com isso agilizar o trabalho e a escola com certeza funciona melhor.
Uma escola em que todos participam e são ouvidos, com certeza colherá resultados positivos e as pessoas que ali trabalham e convivem terão prazer em realizar suas funções e ver que também são responsáveis pelo sucesso da mesma.
O desenvolvimento deste trabalho foi uma experiência agradável, na parte de gestão e coordenação foi um pouco diferente por esta acostumada em ficar em sala de aula, para mim foi uma experiência sem medida, pois apreendi muito. Através da instituição pôde perpassar por todas as áreas principais fazendo com que o meu acervo pedagógico ampliasse. Todas essas observações e etapas transcorridas no processo de estágio são consideradas ações fundamentais e necessárias para a formação de um pedagogo, a fim de que tenha um contato com a realidade e reconheça a boa prática pedagógica. Para o (RCN V.1p. 23) “Educar significa, portanto propiciar situações de cuidados, brincadeiras, e aprendizagens orientadas de forma integrada e que possam contribuir para o desenvolvimento das capacidades infantis de relação interpessoal, de ser e estar com os outros em uma atitude básica de aceitação, respeito e confiança, e o acesso, pelas crianças, aos conhecimentos mais amplos da realidade social e cultural.” Portanto agradeço a Deus e aos meus professores e também a instituição por ter me concebido a oportunidade de obter esta valiosa experiência, que vai fazer parte da minha carreira profissional para sempre.

6 REFERÊNCIAS 

Aprovado 13 de dezembro de 2005, p.15 BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Brasília, MEC/SEF, 2005. v. 01. P.23 MARQUES, A.(1999). O trabalho coletivo como articulador de prático em formação. Marília, tese de doutorado. UNESP. PIMENTA, Selma Garrido, O estágio na formação de professores: unidade de teoria e prática?. 6ª ed. São Paulo: Cortez, 2005.


PLANO DE INTERVENÇÃO-PEDAGOGIA DE PROJETO

1.0 CARACTERÍSTICAS DA INSTITUIÇÃO ESCOLAR

 O Centro Educacional Municipal Fênix é uma instituição situada na Rua São José s/n, Centro Lauro de Freitas, foi criada a mais de dez anos, e mantida pela Prefeitura Municipal de Lauro de Freitas. Com um corpo docente composto por profissionais concursados em áreas específicas, de licenciatura e Pedagogia, muitos com nível superior completo ou em fase de conclusão, além de coordenadores pedagógicos. Oferece Ensino Fundamental I II (1ª a 8ª séries) nos turnos da manhã e tarde; e à noite, a modalidade de Educação de Jovens e Adultos – EJA. Entretanto, pode-se ressaltar que na mesma existe tanto interno e externo um elevado índice de violência, em conseqüência do tráfico e consumo de drogas, por está localizado no centro de vários bairros periféricos, os alunos que são inseridos na escola, são de baixa renda, como Lagoa dos Patos, Chafariz, Vila Mar e etc. Contudo esses educandos já trazem consigo determinadas dissensões e brigas de pontos de drogas, esses conflitos explicam um dos grandes problemas enfrentados na escola. Dificultando a comunicação no espaço educacional, fazendo com que na escola, a educação e o diálogo sigam por caminhos distintos, por se tratar de áreas de grande carência, em que as pessoas atraídas por dinheiro fácil e ilusão, torna-se uma boa clientela que não perde tempo para refletir sobre atos e atitudes, provocando uma proliferação da violência por falta de valores, de vínculo familiar e de comprometimento com a vida. Daí ser importante para as escolas, alem do trabalho de ensinar, atacar com vigor as raízes da violência, enfrentando a realidade.
Sendo possível perceber que esses transtornos de conduta são provenientes da falta de estrutura familiar, uma vez que as famílias são constituídas em alguns casos por mães e pais que são em sua maioria ignorantes e há casos em que os próprios genitores são envolvidos com o crime. Formando dessa forma um contexto que provoca choques de comportamento, entre conflitos, valores e idéias entre gerações, desequilibrando as estruturas familiares e intensificando a carência de integridade social. Assim, é urgente a necessidade de despertar nos pais a
consciência de que a maior parceira do filho na educação é a família, essa presença estimula, proporciona segurança e ampara o aluno a ir além.
A Instituição escolar juntamente com a comunidade vem provocando um distanciamento que preocupa. Todos reclamam: gestores, professores, funcionários e pais, dando início à guerra de “empurra a responsabilidade adiante” Pais acusam a instituição, alegando que a escola está uma baderna, que professores só pensam no salário no final do mês. Só que a escola, com esses comportamentos são efeitos de um dos maiores males, o desequilíbrio familiar, Perante essa situação não assume atitudes para reverter esse quadro. É necessário persistir em busca de soluções para despertar nas famílias para o fato de que o sucesso escolar dos filhos dependerá do seu envolvimento, reconhecimento, atentando para o fato de que muitas famílias não se envolvem no processo de ensino aprendizagem dos seus filhos, por não saberem como nem por que ou por não conhecerem os próprios direitos e as obrigações. Podemos retratar que a Instituição Fênix, junto com o corpo docente e todos que fazem parte da mesma procuram envolver a comunidade no âmbito escolar através de palestras gincanas dentre outras. Tendo ela uma educação de qualidade que só precisa maior interação entre os agentes da escola, (professores, gestores, coordenadores e auxiliares) alunos, pais de alunos e comunidade. Uma vez que uma gestão de qualidade precisa ser compartilhada.

2.0 INTRODUÇÃO

A pedagogia buscar unir a teoria e a prática a partir de sua própria ação, sendo então um dos campos do conhecimento que se preocupa com estudo sistemático da educação, com a prática educativa concreta que se realiza na escola e reflete na sociedade como um dos ingredientes básico da configuração na atividade humana. No entanto, o curso de pedagogia deve formar o pedagogo como um profissional qualificado para atuar em vários campos educativos e atender demandas sociais, do tipo formal e informal decorrentes de escolas, como também na pesquisa, na administração do sistema de ensino no planejamento educacional e outros. Daí a diversidade da proposta curricular do curso de pedagogia, que prepara o pedagogo para atuar várias esferas da educação, no âmbito específico da matéria de ensino e outros. Sendo assim, o estágio é de suma importância na formação do pedagogo, pois sendo assim, colocamos em prática toda teoria aprendida em sala de aula. Através do estágio curricular o profissional de educação perpassa por várias etapas onde conhece um pouco sobre tudo dentro de uma instituição. Podemos ressaltar que o mesmo tem sido uma oportunidade de formação contínua, um espaço vivenciado para atualização do nosso acervo da prática pedagógica seguindo um confronto com a realidade e mudanças, objetivando o crescimento pessoal e profissional e identificando também aptidões e interesse em relação á nossa área. Acredita-se que para que aconteçam mudanças, torna-se necessário organizar uma proposta de estágio que atenda a visão de buscar e integrar a teoria e prática. Assim, para proporcionar estas aprendizagens de ensino e estágio supervisionado, foram realizados em seguintes etapas: Primeira etapa:
 CH 40h – Aulas presenciais na UNIME e encontros nas escolas campo;
 CH 20h - Atividade de co-participação;
 CH10h - Planejamento e elaboração do plano de intervenção e sistematização dos diários.
Segunda Etapa:
 CH 16h – aplicação do plano de intervenção (4 intervenções);
 CH 4h - Vista à escola para verificar os resultados do trabalho;
 CH 10 – Planejamento e elaboração do relatório final.
Total de 100h Diante do exposto, foi necessário acontecer à elaboração do plano de intervenção que tem como tema: Pedagogia de Projetos. O mesmo deve ser construído por nós, alunos do curso de pedagogia sob orientação da nossa professora de Estágio. Sendo que o tema nos foi sugerido pela coordenadora pedagógica do Colégio Fênix, Amanda Rosa, por a mesma perceber a necessidade de trabalhar sobre o assunto, algo novo para os profissionais de educação nesta área, deixando bem explicita esta sua preocupação. Entretanto nós estagiários tivemos percepção que o plano de intervenção deveria estar voltado á falta de comprometimento dos professores consigo próprio com a Instituição e os alunos e a violência. Devido o fato de nós vivenciarmos situações, em que os alunos foram dispensados pela ausência do professor na Instituição e pelo relato da gestão e coordenação sobre a violência. Contudo o nosso objetivo é promover para os profissionais de educação uma palestra sobre pedagogia de projetos incentivando-os a buscar novos métodos criativos significativos e prazerosos para que envolva o aluno no ambiente que se sinta bem, que promova um processo de ensino aprendizagem mais significativo, favorecendo um melhor desenvolvimento para o grupo. Este plano de intervenção vem para retomar com a equipe de educadores, a importância do trabalho com projetos, além de considerar o ponto de vista didático, deve sempre estar atenta para os problemas que existem ou surjam no trabalho e que podem ser resolvidos com a criação e implementação de um projeto. Assim mostrando também os problemas comuns na implantação e execução do mesmo, que devem ser evitados, como objetivo confusa execução conturbada; falhas na execução dentre outros...
Diante do exposto, se faz necessário antes de executar este plano ter o projeto de trabalho concluído, para que haja uma dinâmica de ação organizada, no sentido de bem utilizar o espaço e o tempo disponível, para sua execução.

3.0 OBJETIVOS GERAIS:

 Compreender a importância da Pedagogia de Projeto;
 Identificar as etapas e os elementos de um projeto.

4.0 DESENVOLVIMENTO

 “NÃO HÁ NADA COMO O SONHO PARA CRIAR O FUTURO.” O plano de intervenção “Pedagogia de Projeto” será vivenciado no Centro Educacional Municipal Fênix, situado na Rua São José s/n Centro Lauro de Freitas, no período 01 de abril de 2012 às 15h00 no AC. O tema será desenvolvido através de uma palestra. Para dar suporte ao plano de ação utilizaremos convite, folder, slide e bloco de anotações. Acreditamos que, à medida que o grupo de profissionais de educação tenha contato com esses gêneros textuais baseados no assunto, será capaz de ampliar a construção de novos conhecimentos, pois tal construção é um processo ativo de elaboração interna, externa num contexto de trocas entre os atores da instituição, educandos e comunidade. No dia 30 iremos à instituição dialogar com a Gestora e Coordenadora sobre o plano de intervenção. Entregaremos à mesma os convites da nossa palestra a qual está contida a data, hora local e o tema. PEDAGOGIA DE PROJETO 1º Passo: Chegar uma hora antes na instituição para preparar o ambiente da palestra a qual será na sala do AC, juntamente com a coordenadora Amanda Rosa que já se encontra a nossa espera. 2º Passo: Após a arrumação do ambiente, esperar a chegada dos professores; logo em seguida nos apresentarmos. 3º Passo: Em seguida entregar as pastas que contém todas as informações necessárias para este evento. 4º Passo: Após iniciará a palestra com instrumento de auxilio, o Slide, dando espaço para intervenções, sendo trabalhados os itens de um projeto. (que deverá ter duração máxima de 3:h)
5º Passo: Para finalizar, fazer um sorteio de um livro com titulo. “Avaliação para aprendizagem” 6º Ao término um coffee break. Ao concluir terminará com uma pequena frase:
“O aprender fazer pode ser comparado à construção de uma casa onde o pensar é a planta baixa e os materiais para construção são ferramentas utilizadas para á realização do saber”.

REFERÊNCIAS:

http://www.projetospedagogicosdinamicos.kit.net/index_arquivos/Page325.htm.
http://meuartigo.brasilescola.com/educacao/a-pedagogiaprojetos-novo-olhar-na-aprendizagem.htm.
http://homes.dcc.ufba.br/~frieda/pedagogiadeprojetos/conteudos/a1p2.htm. BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil. Brasília, DF: MEC, 1998. FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários a prática educativa. 27ª Edição. São Paulo: Paz e Terra, 1996


Diário de bordo

 Começamos o nosso dia de observação e diagnose no colégio Fênix, que tem uma infra-estrutura ampla com uma área bastante arejada a qual funciona no turno vespertino (Ensino Fundamental II do 6º ano á 9º ano) e matutino, com objetivo de conhecermos gestão e a coordenação da mesma. Inicialmente dialogamos com a diretora e a vice que relataram que nesta instituição houve um tempo atrás índice muito grande de violência interna e externa e que hoje está melhor. Diante do exposto, pode ressaltar a importância dos valores na vida ser- humano: Amor, solidariedade, respeito, humildade. No entanto o que me chamou a atenção foi o fato dos alunos estarem sendo dispensados mais cedo pela ausência de alguns professores. Frente a isso me leva a pensar sobre a falta de compromisso dos profissionais da educação, pois sei que a prática pedagógica deve ser marcada por atitudes ou sentimentos: O entusiasmo de aprender e a disposição para o dialogo. Cabe a nós professores o papel importantíssimo de ajudar seus alunos a aprenderem. O profissional de educação precisa ter qualidade e competências, pois ele deve desenvolver em outro sujeito a preocupação com a auto-crescimento. E quando é constatado uma instituição que ocorrer a falta de comunicação entre professores e coordenadores terminar gerando um desrespeito, pois o mesmo é mediador da aprendizagem e da construção do sujeito e tem compromisso tanto com a instituição e quanto ao aluno.
Dessa forma eu como gestora buscaria chamar a atenção desses profissionais relembrando os seus deveres e seus direitos, levando em conta também, que todo ato tem sua conseqüência.

21/03/2012

Foi um dia onde tivemos o prazer de conversar mais a vontade com a coordenadora pedagógica Amanda Rosa Silva Dias, pude notar sua simplicidade e sua forma de gerir pessoas, tendo com instrumento maior o diálogo. Diante a isso devo ressaltar a importância do mesmo como mediador da aprendizagem na sala de aula e fora dela, visto que, o dialogo, a discussão, é o ponto de partida para a ação alfabetizada. A sala de aula é um ambiente onde se constrói o conhecimento não um conhecimento único, estático, mas um conhecimento aberto possível de novas descobertas, pois a cada situação de aprendizagem o sujeito como educador e aluno vão construído e adquirindo novos hábitos, atitudes e saberes. Para o nosso deleite a coordenadora explanou um pouco sobre o projeto “O DIA D’ DA FAMÍLIA NA ESCOLA” que neste momento estava sendo sua preocupação maior, que tem como sub-tema: Cuidando do corpo e da mente a qual seria apresentado no sábado. Por intermédio disso falamos um pouco então do nosso projeto de intervenção, que foi analisado e concluído dessa forma:

22/03/2012

 Neste dia a coordenadora verificou alguns atestados deu pasta e horário aos professores e atendeu alguns pais. Preparou os matérias para o A/C sendo elas linguagem exatas e humanas. O que me chamou atenção foi que todos os alunos foram dispensados das aulas por causa do cheiro da tinta (Estão reformando a escola). Tivemos um dia de coordenação de evento maravilhoso estamos preparando o Dia D’ D da Família, ficamos incumbida da organização e decoração junto com a mesma. Outra coisa que nos chamou a atenção foi vários alunos conversando com a professora de espanhol o que pretende se formar.

 23/03/2012

Um dia de produção onde pudemos nos concentrar para apreender sobre coordenação de evento pedagógico, utilizamos nossos conhecimentos aprendidos
durantes todos os semestres e a nossa criatividade, visando sempre o ensino-aprendizado do aluno. Foi um momento onde percebi que o conceito vive intercalado com a prática, fazendo em mim flora o que quero que meus alunos aprendam e que valores eles devem buscar a cada dia e principalmente que os mesmos possam questionar-se e se impor perante esta sociedade. Particularmente parei este dia para pensar e analisar porque a educação está a cada dia perdendo o seu valor? Acredito que a educação está sendo colocada como algo a parte, onde o nível desqualificado da educação percebe-se por diversos fatores, onde o ser aluno é alvo principal dessa margem de descriminação sócio-político- cultural por depender de uma instituição pública para ser inserido de forma igualitária na sociedade atuante. Sem dúvida posso descrever que a educação pública de ensino é algo que precisa melhorar, visto que os profissionais da educação estão desmotivados, cansados de professarem, como autora descrevi sobre certa professora que queria suas férias premiada pelo fato de estar cansada e desmotivada. Isto abrange o salário baixo, conteúdos retrógrados, falta de infra-estrutura e um governo que muitas das vezes não acredita na educação.

24.03.2012

 O último dia de estágio foi um sábado a qual tive o prazer de juntamente com o corpo pedagógico desta instituição, promover o Dia D’ da Família e com a comunidade local, visando um momento onde os alunos pudessem expressar o seu conhecimento e ter palestras sobre assunto do seu cotidiano, além de um espaço de saúde. Neste dia eu particularmente acreditei que os pais levariam seus filhos para a escola, mas foi ao contrario, só foram alunos que iriam apresentar e alguns pais. Fiquei muito triste como também a coordenadora e a direção. Pude perceber o descontentamento da mesma quando relatou que no próximo ano vai fazer um samba com uma feijoada assim todos viriam.
Sei que a educação é dever do Estado, é também dever de todos, pais, alunos, comunidade. Com essa mobilização da população em defesa do ensino público, é possível pressionar ainda mais o Estado para que cumpra o seu dever de garantir a educação pública, gratuita e de bom nível para toda a população. Uma
população acostumada a receber um bom serviço se mobilizará para continuar a tê-lo.(GADOTTI,1995;7-8) Portanto o que pude notar que, por ter uma área reservada sobre saúde os pais começaram a buscar os seus parentes em casa para ter acesso a este atendimento e simplesmente deixando de assistir seus filhos apresentar sobre um determinado tema ou sobre palestra de foco educativo, não desqualificando a saúde deixando bem claro isso.Por isso a educação esta tão defasada. Precisamos reverter esta situação de forma que possamos intercalar todas as áreas dos conhecimentos, usufruindo destes conhecimentos vastos e aprimorando o seu acervo sócio-cultural. Mas agora que estou concluindo o curso não é hora de apontar culpados, o momento é para rever, conceitos, atitudes, comportamentos e valores resignificando os saberes para não cair na pedagogia do discurso; da palavra e com isso ficar distante da pedagogia da ação e da intervenção, pois o pedagogo deve ser capaz de se envolver e contribuir na formação de sujeitos/cidadãos atuantes e comprometidos com as questões sociais.


Nenhum comentário:

Postar um comentário